CANDIDÍASE VAGINAL RECORRENTE: POR QUE OCORRE? - Clínica Ederson Biscotto
17156
post-template-default,single,single-post,postid-17156,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-7.7,wpb-js-composer js-comp-ver-4.7.4,vc_responsive

29 abr CANDIDÍASE VAGINAL RECORRENTE: POR QUE OCORRE?

A candidíase vaginal é uma infecção fúngica extremamente frequente, atingindo 75% das mulheres em alguma fase da vida. Cursa com corrimento branco ou esverdeado leitoso com grumos ( que lembra nata de leite) e coceira intensa. Cerca de 5% terão candidíase recorrente , definida como 4 ou mais episódios a cada 12 meses.

É causada por um único agente , sendo a Candida albincans, o fungo responsável por 85% dos casos, seguida pelas espécies C. Glabrata, C. tropicais, C. krusei e C. parapsilopsis.

CANDIDA A2
A infecção recorrente é de causa imunológica, desencadeada por um defeito da imunidade celular mediada, onde as células de defesa ( macrófagos e linfócitos) são ineficientes no combate à proliferação fúngica, através da produção inadequada de citocinas específicas. Estas substâncias seriam responsáveis pela ativação dos macrófagos que por sua vez , englobariam e destroiriam as células fúngicas . Estudos têm demonstrado uma predisposição genética para este tipo de infecção .
Alguns fatores predisponentes também podem estar presentes: gravidez, diabetes descompensado, uso de antibióticos, uso de anticoncepcionais com doses altas de estrógeno, uso de quimioterápicos, Aids, alergias a sêmem, a Cândida e produtos vaginais , além de uso frequente de roupas inadequadas ( com pouca ventilação) e relações sexuais muito frequentes ( o sêmem contém altas concentrações de prostaglandina E2, alterando assim , a resposta imunológica da vagina ao fungo ).

O diagnóstico preciso das vulvovaginites recorrentes e o controle dos fatores predisponentes são os primeiros passos para a cura. O tratamento principal consiste no uso prolongado de drogas antifúngicas para manter as concentrações de fungos na vagina em níveis muito baixos, a ponto de não causar mais sintomas, melhorando assim, a qualidade de vida dessas pacientes.

CANDIDA A3

Dr. Ederson Biscotto
contato@clinicaedersonbiscotto.com.br